Online

As unhas podem dar sinais de que algo não vai bem com a sua saúde

Doenças como anemia, hipotireoidismo e câncer, muitas vezes deixam marcas nessa pequena parte do corpo, que merece uma atenção especial quando surgem alterações

28/09/2009 | 00:00 Thays Puzzi

Com a chegada da primavera é comum que as unhas, principalmente das mulheres, ganhem maior cuidado e destaque. Mas o que muitos ainda não percebem são os sinais que esta pequena parte do corpo pode nos dar, revelando, muitas vezes, doenças de origem dermatológica, ou não. Isso mesmo! As unhas podem revelar seu atual estado de saúde.

Conforme o dermatologista, Andrei Bungart Nonino, os sinais que as unhas nos mostram são bem específicos. “O fato de o paciente apresentar uma mancha, por exemplo, não significa que ele tenha determinada doença. Os sinais são comuns, mas não específicos”, salienta. De acordo com Nonino, pessoas que têm unhas frágeis, quebradiças, sem brilho e com descolamento natural, ou seja, sem ter sofrido alguma lesão, podem apresentar problemas na tireóide. Menos comum, unhas pálidas podem indicar anemia.

A psoríase, uma doença inflamatória de pele, também pode se desenvolver nas unhas. Neste caso, segundo o dermatologista, aparecem manchas escuras e pontos de depressão, parecidos com pequenos furos. Nonino ainda destaca que alguns casos crônicos de doenças cardíacas ou pulmonares podem alterar o formato das unhas. “Chamamos de unha em colher, pois elas podem ficar tanto aneladas, quando ficam para cima, quanto curvadas para baixo”, explica.

De acordo com Andrei Nonino, existem casos de pacientes que percebem alterações e descobrem no consultório que não se trata de um problema dermatológico. “Há um mês atendi uma mulher que estava com as unhas muito secas e quebradiças, assim como seus cabelos e pele. Após realizar um exame de sangue constatamos que era hipotireoidismo”, relata. Segundo o médico, casos como este são os mais corriqueiros.

Já a presença de manchas escuras nas unhas pode denotar problemas mais graves e deve ser observada com especial atenção. Conforme o oncologista, Clodoaldo Campos manchas com tons marrons ou pretos podem indicar um melanoma, um tipo grave de câncer de pele. “Essas manchas podem aparecer em qualquer parte da pele, inclusive nas unhas. O problema é que a maioria das pessoas não se atenta que embaixo da unha também pode se desenvolver um câncer”, salienta.

Fáceis de serem confundidas com um hematoma, Campos orienta que se essas manchas marrons ou pretas forem persistentes o médico deve ser consultado, uma vez que marcas derivadas de lesões somem relativamente rápido. “Se a pessoa não sente dor e a mancha existe há seis meses, um ano, pode ser um melanoma.”

O oncologista ainda ressalta que, por ser uma manifestação pouco conhecida, muitas vezes os casos já chegam num estágio bem avançado. “Isso porque o melanoma tem um alto potencial de metástase aliado a região bem vascularizada dos dedos.”

Vale lembrar também que um câncer não se desenvolve de um dia para o outro. “Ninguém dorme saudável e acorda com um melanoma. Assim como qualquer outro tipo de câncer, ele se desenvolve gradativamente. Por isso temos de ficar atentos”, orienta.

Alguns sinais não devem preocupar

O dermatologista Andrei Nonino explica que não é aconselhável o uso de remédios ou soluções caseiras para combater qualquer alteração que apareça nas unhas ou em volta delas, como as verrugas. “É comum pessoas que passam óleo, água sanitária ou mesmo desinfetante e quando percebem que não obteve resultado procuram um médico e querem uma solução em um mês”, diz.

Nonino afirma que somente um especialista da área pode realizar um diagnóstico preciso. “Percebeu alguma coisa diferente, a recomendação é que procure um médico.” Mas nem todo sinal deve ser visto como suspeita de algum tipo de doença. Nonino esclarece que aquelas pequenas manchas brancas que desaparecem com o crescimento da unha são normais.

Unhas frágeis devido a ressecamento também não estão relacionadas com doenças. “Essa fragilidade pode ser de origem genética, pelo frequente contato com substâncias químicas ou mesmo pelo uso em excesso de esmaltes e acetonas. É recomendado que a pessoa fique um período sem nenhum produto nas unhas”, orienta. Segundo ele, o período dessa “folga” é relativo.

Serviço: Dermatologista: Andrei Bungart Nonino Avenida Maringá, 1849.Tel: (43) 3327-2929

Pequenos cuidados devem ser adotados diariamente

A podóloga Cleonice Cartolari afirma que uma unha saudável é aquela translúcida, de tom rosado e que não apresenta alterações na cor, na forma ou na superfície. Para manter as unhas com saúde, ela dá algumas dicas sobre cuidados que se estendem também aos pés.

Mantê-los limpos e bem enxutos entre os dedos são medidas práticas e que devem ser adotadas diariamente, além de uma boa hidratação. Cleonice Cartolari diz também que o correto é o uso de meias de algodão, sem costuras e sapatos confortáveis que não sejam apertados e nem de plástico.

As unhas, segundo a podóloga, devem ser cortadas regularmente – de três em três semanas – e lixadas uma vez por semana. O corte deve ser reto tanto nas mãos quanto nos pés, a conhecida unha quadrada. Costume entre as mulheres, a cutícula nunca deve ser retirada.

“Ela serve de proteção para o nosso organismo, funciona como uma cortina que barra a entrada de vírus, bactérias ou substâncias químicas na corrente sanguínea.” Segundo Cleonioce Cartolari, a cutícula pode ser empurrada, mas de uma maneira que não cause lesão. A podóloga afirma que quanto mais é retirada, mais a cutícula cresce. “Por isso quando passamos a empurrar a tendência é que haja a diminuição do crescimento. Os redutores de cutículas também ajudam.”

Serviço: Podóloga Cleonice Cartolari, rua Senador Souza Naves, 441, lj 06, Tel: (43) 3344-0093

Oncologista: Clodoaldo Campos.Hospital do Câncer, Tel: (43) 3379-2600


Problemas podem ser externos

A podóloga, Cleonice Cartolari também alerta sobre os cuidados com manicure ou pedicuro. É importante observar se os instrumentos utilizados são devidamente esterilizados e descartáveis. “O ideal seria que as lixas, os palitos e as toalhas fossem descartáveis, mas como é difícil sempre oriento que cada pessoa tenha o seu kit.”

Ela mesma foi pega de surpresa quando descobriu que a causa de uma grave alergia foi decorrente de um corte na cutícula. “Eu ainda não era técnica em podologia quando uma manicure fez um corte grande na minha cutícula e passou base para estancar o sangramento.”

O solvente do esmalte entrou na sua corrente sanguínea e o resultado foi uma reação alérgica que se manifestou no corpo todo. “Até hoje só posso usar esmaltes hipoalergênicos, aqueles que não causam alergia.”

Conheça sinais das unhas sobre doenças

Anemia: unhas quebradiças, secas, opacas e pálidas.

Doenças cardíacas: unhas curvadas para baixo, alargadas, coloração e pontos arroxeados.

Doenças renais: unhas grossas, cor amarelada ou cinzenta, linhas transversais esbranquiçadas, unha metade marrom, metade clara.

Doenças hepáticas: unha pálida, amarelada, arredondamento e aumento da unha.

Doenças gastrointestinais: unhas doloridas, frágeis e com descolamento. Presença de pontos hemorrágicos.

Diabetes: unhas grossas, avermelhadas e com visualização de vasos na pele. É comum a presença de micoses, engrossamento e endurecimento das pontas dos dedos.

Hipertireoidismo: afinamento e enfraquecimento das unhas e descolamento.

Hipotireoidismo: unhas opacas e grossas.

Reumatismo: unhas amareladas e grossas, com sulcos transversais, lúnula (meia lua esbranquiçada na base da unha) avermelhada.

Comente esta matéria

Leia também
Últimas Notícias rss
00:01Não podePropaganda eleitoral em postes é...
00:01JardinagemAprenda a fazer um terrário: u...
00:01VôleiParanaense Giba anuncia aposentador...
00:01Série BronzeColégio Londrinense decide v...
00:01Poços de CaldasLondrinenses defendem o P...
00:01TrabalhoMPT investigará construtoras que...
00:01DesviosGaeco denuncia doze PMs por tortu...
00:01TrânsitoLicenciamento de carros começa a...
00:01Parece piadaPadre exige que ladrão assin...
00:01Evento gratuitoPara celebrar dia dos pai...