Acesso ao sistema

Esqueceu sua senha? Clique aqui

Ainda não é cadastrado?

Após cadastrado, o CPF não pode ser alterado.
Digite uma nova senha:

Online |

Consumidor

Variação no preço de ovos de Páscoa chega a 40% em Londrina

Quem deixar para última hora para comprar os ovos de Páscoa corre o risco de não pegar promoções e, se houver, pagar mais barato em ovos quebrados

Fábio Luporini
  • Fábio Luporini
  • fabiol@jornaldelondrina.com.br
  • 30/03/2010 19:05

O preço médio do ovo de Páscoa em Londrina pode variar até 40% de um supermercado a outro, chegando a uma diferença de R$ 11. Essa foi a conclusão a que o professor Flávio Oliveira dos Santos chegou ao pesquisar os valores, junto com alunos da Empresa Júnior da Faculdade Pitágoras. A recomendação é que, antes de comprar qualquer ovo de chocolate, o consumidor faça pesquisa de preço.

O ovo de Páscoa Serenata de Amor, com 500 gramas, da marca Garoto, foi o que mais apresentou diferença de preços entre os sete estabelecimentos comerciais pesquisados. O supermercado Condor foi o que vendeu o produto com preço mais barato, a R$ 26,98. Já o Carrefour comercializou o produto a R$ 37,99, diferença de R$ 11,01. “Em termos de valores essa foi a maior variação. Tem que pesquisar, porque vale a pena”, destacou o professor Flávio Oliveira dos Santos. Além do Condor e Carrefour, foram pesquisados o Super Mufatto, Viscardi, Almeida, Mercadorama e Musamar.

Outro produto em que houve grande variação foi o ovo Super Talento, de 1 mil gramas, da marca Garoto. O maior preço (R$ 59,99) foi encontrado também no Carrefour e o menor preço (R$ 49,98) no Musamar, uma diferença de R$ 10,01. Já o ovo de Páscoa Classic Giardine, de 600 gramas, da marca Nestlé, foi encontrado com variação de R$ 9,40. O maior preço (R$ 59,39) foi cotado no Super Mufatto e o menor valor (R$ 49,99) no Almeida. Ao todo, foram pesquisados preços de 29 produtos, das principais marcas.

O professor ressaltou que o consumidor deve adquirir o produto que lhe é viável. “O tamanho do chocolate deve se enquadrar no bolso do consumidor. É bom pesquisar, para que o doce do chocolate não fique amargo no bolso”, destacou. Santos disse que as promoções de última hora dependem da demanda de consumidores. “Ás vezes tem promoção de chocolate quebrado. Se o consumidor não se importar ele acaba pagando mais barato. E se não houver demanda, o preço também cai”, avaliou.

Abrir comentários