Acesso ao sistema

Esqueceu sua senha? Clique aqui

Ainda não é cadastrado?

Após cadastrado, o CPF não pode ser alterado.
Digite uma nova senha:

Online |

habitação

Primeiras casas do Minha Casa, Minha Vida são entregues em Londrina

Entrega nesta quinta foi um “presentão” de Natal para 32 famílias. Outras 2.156 casas já estão em construção e irão beneficiar famílias que ganham de zero a três salários mínimos

  • daniel costa
  • 24/12/2009 16:56

Para 32 famílias de Londrina o Natal deste ano será especial. Elas receberam um “presentão” do Papai Noel: casas novinhas. As famílias foram as primeiras beneficiadas na cidade pelo programa Minha Casa, Minha Vida, do governo federal, e receberam as chaves na manhã desta quinta-feira (24).

As residências, de 35 metros quadrados, estão localizadas no Jardim Aliança, zona norte, e formam o Residencial Elizabeth. A obra teve investimento de R$ 1,3 milhão. Para o presidente da Companhia de Habitação (Cohab), João Verçosa, a entrega das casas mostra que a administração municipal “saiu na frente” na busca dos recursos do programa.

“Corremos atrás e conseguimos a verba para a construção dessas casas. Foi um trabalho árduo para que os projetos das construtoras fossem aprovados. Hoje, já concretizamos a 3.320 residências, que vão beneficiar famílias que ganham entre zero e três salários mínimos”, disse.

Também na zona norte estão sendo construídas 2.056 moradias no Residencial Vista Bela e mais 100 casas no Residencial Nova Esperança. A previsão é que as casas sejam entregues no mês de outubro de 2010. No entanto, Verçosa destacou que há a previsão de mais 4 mil residências, para a faixa entre zero e três salários mínimos, se todos os projetos apresentados a Caixa Econômica Federal forem aprovados.

“Os projetos estão sendo avaliados pela Caixa e vamos brigar para conseguir os recursos para a construção de mais casas. Na próxima semana vamos assinar ordem de serviço de mais 540 moradas na zona sul de Londrina que vão beneficiar todas as famílias que moram em fundos de vales da região e estão em situação de vida precária. Será uma mudança geral na vida dessas pessoas”, afirmou.

Verçosa também se mostrou otimista quanto a oferta de imóveis para a faixa salarial entre três e dez salários mínimos, com a aprovação na Câmara de Vereadores na quarta-feira (23), do projeto de lei que habilita o município no programa. “A fila da Cohab é de mais de 33 mil pessoas e esperamos construir mais de 8 mil casas durante esses quatro anos de administração. O recurso está disponível e tudo o que conseguirmos vamos trazer”, disse.

Beneficiada com uma das casas, a empregada doméstica Aparecida Santiago não conteve a emoção. “Eu esperei tanto. 20 anos da minha vida fazendo inscrição, pagando aluguel, muita dificuldade. Mas venci graças a Deus”, disse em entrevista a reportagem do Paraná TV.

Abrir comentários