Acesso ao sistema

Esqueceu sua senha? Clique aqui

Ainda não é cadastrado?

Após cadastrado, o CPF não pode ser alterado.
Digite uma nova senha:

Edição do dia |

Comércio

Dispara em Londrina venda de ovos de Páscoa

De acordo com a Regional de Londrina da Associação Paranaense de Supermercados, crescimento em relação ao mesmo período do ano passado ficou entre 13% e 18%

  • Simoni Saris
  • 06/04/2010 22:13

O volume de comercialização de ovos de Páscoa na região de Londrina neste ano superou as expectativas até dos comerciantes mais otimistas. O crescimento nas vendas de ovos de chocolate ficou entre 13% e 18% em relação ao ano passado, segundo a Regional de Londrina da Associação Paranaense de Supermercados (Apras).

  • 1 de 1

    No supermercado: pouco ovo de chocolate (Crédito: Gilberto Abelha)

    No supermercado: pouco ovo de chocolate (Crédito: Gilberto Abelha)

O balanço é parcial, já que a associação ainda aguarda a divulgação da pesquisa Nielsen que irá revelar o comportamento dos consumidores nesta Páscoa. Mas a economia favorável, as facilidades de pagamento e o fato de a Páscoa ter caído no primeiro domingo do mês ajudaram a impulsionar as vendas, conforme o presidente da Regional de Londrina da Apras, Valdecir dos Santos Galhardi. “Sobraram poucos ovos nos supermercados. Aqueles especiais para crianças, que vêm com brinquedo dentro, foram os primeiros a faltar”, disse ele. “O volume de vendas na Páscoa deste ano superou até o Natal.”

Na região de Londrina, afirmou Galhardi, o movimento no comércio foi ainda melhor do que no restante do Estado. “Tivemos que trazer ovos das lojas de Foz do Iguaçu e Cascavel”, contou o presidente da Apras, que também é gerente da rede Super Muffato em Londrina. “Aqui é uma cidade central, para onde vêm muitas pessoas de outras cidades. Por isso, as vendas aqui tendem a ser maiores”, explicou.

Segundo a Apras, de todo o volume de vendas da Páscoa, 70% foram computados entre os dias 1º e 3 de abril, confirmando a velha mania dos consumidores de deixarem as compras para a última hora.

Sem estoque

O Almeida Mercados apostou em um crescimento de cerca de 10% nas vendas deste ano, mas de acordo com o subgerente, Júlio César Freitas, se a loja tivesse mais ovos de chocolate em estoque, teria vendido ainda mais. O aumento ficou entre 20% e 30%. Ontem, nas parreiras instaladas na loja, havia não mais que meia dúzia de ovos. “As vendas na Páscoa têm aumentado a cada ano que passa. Vendemos muito bem no cartão de crédito e houve empresas que distribuíram a seus funcionários vales para serem usados na loja na compra de produtos típicos desta época, como ovos e bacalhau. Isso ajudou muito.”

Prestações ajudaram desempenho

Gerente geral da rede São Francisco em Londrina, Vagner Marcondes também observou neste ano uma quantidade maior de ovos de Páscoa nos carrinhos dos clientes das duas lojas da cidade. No entanto, ele acredita que o aumento nas vendas em 2010 deve-se ao fato da consolidação da clientela. “Faz um ano que estamos em Londrina, então é natural esse crescimento. O pessoal está conhecendo a rede”, avaliou. Mas ele reconheceu que o parcelamento de ovos de Páscoa em seis prestações ajudou a atrair os consumidores. “As vendas no cartão de crédito foram bastante utilizadas.”

Escreva para a repórter

Abrir comentários