Cidades

Sem definição de contrato, 280 merendeiras estão de aviso prévio

O contrato com a J. Coan, atual responsável pelo fornecimento da mão-de-obra da merenda, será encerrado em quatro dias. Até esta quinta, Prefeitura não tinha definição sobre qual empresa assumirá o serviço

24/05/2012 | 17:54 Daniel Costa e Fábio Calsavara

A quatro dias do fim do contrato com a J.Coan, responsável pela manutenção das merendeiras nas escolas municipais de Londrina, a Prefeitura ainda não tem uma definição sobre quem vai assumir o serviço. As mais de 280 merendeiras já estão com aviso prévio para terça-feira (29).

O resultado da licitação para a contratação de nova empresa deveria ter saído na tarde desta quinta (24). Mas, segundo o Núcleo de Comunicação da Prefeitura de Londrina, o nome do vencedor do pregão só será conhecido na sexta (25).

O impasse preocupa o Conselho Alimentar Escolar (CAE), uma vez que a partir da próxima quarta (30) as trabalhadoras não estarão mais nas escolas. Segundo a presidente do CAE, Andreliane Maistrovicz, o conselho tem cobrado uma posição oficial da Secretaria Municipal de Gestão Pública, mas não obteve nenhuma resposta.

“A única coisa que tivemos foi uma fala informal de que foram feitos orçamentos e os nomes das empresas foram repassados para análise do Ministério Público”, disse. O contrato com a J.Coan não pôde ser aditivado, pois a empresa é investigada pelo Ministério Público (MP) sob suspeita de participar da “máfia da merenda”.

A reportagem do JL ligou várias vezes para o secretário de Gestão Pública, Fábio Reali, nesta quinta-feira (24), mas não conseguiu contato.

Leia também
Últimas Notícias rss
01:08PresidênciaPrimeiro debate tem confronto...
00:58visuaisCláudio Garcia e Daniel Duda expõ...
00:57músicaCantor londrinense Ivo Pessoa é pr...
00:28teatroLume relembra vida e obra de Alpho...
00:27ao vivoSamba no ponto de encontro do Fil...
00:17festivalFilme de Iñárritu abre Veneza
00:05aparteLondrina tem muitas marcas da gest...
00:04obituárioLista de falecidos
00:03ponto de vistaConfisco progressivo vai f...
00:03cartasConstrutoras deveriam arcar com os...