Acesso ao sistema

Esqueceu sua senha? Clique aqui

Ainda não é cadastrado?

Após cadastrado, o CPF não pode ser alterado.
Digite uma nova senha:

Vida Pública |

Trabalho

Brizola Neto diz que ainda existem divergências no PDT

Novo ministro reconhece que ainda existem "pequenas diferenças" dentro do PDT que ainda precisam ser equacionadas

  • Agência Brasil
  • 03/05/2012 15:12

O novo ministro do Trabalho, Brizola Neto (PDT), afirmou nesta quinta-feira (3) que ainda existem divergências internas no seu partido após ser escolhido pela presidente Dilma Rousseff para comandar a pasta.

Integrantes do partido ligados ao ex-ministro Carlos Lupi eram contrários à indicação de Brizola Neto, que teve o apoio das centrais sindicais e do deputado federal Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), presidente da Força Sindical.

"Ainda existem pequenas diferenças nesse processo todo, que ainda precisam ser equacionadas. Mas a verdade é que o partido [...] está convencido do seu papel e do seu posicionamento no campo político nacional", afirmou Brizola Neto.

O novo ministro afirmou ainda que o PDT tem um compromisso com a história do trabalhismo brasileiro e com o governo de Dilma.

O deputado Paulo Pereira da Silva reconheceu a divisão no partido em relação ao nome de Brizola Neto, mas reforçou que ele conta com o apoio das centrais sindicais. "O nome do Brizola foi muito aceito pelo movimento sindical [...] portanto ele vai ser o ministro que vai comandar o trabalho com tranquilidade porque tem apoio dos trabalhadores", afirmou.

Além de Brizola Neto, os nomes do deputado Vieira Cunha e do secretário-geral da legenda, Manoel Dias, também foram ventilados para assumir o cargo.

O ex-ministro Carlos Lupi, que deixou a pasta em dezembro do ano passado após suspeitas de irregularidades, também falou sobre as divergências internas no PDT em relação à escolha da presidente.

"Quando tem disputa [pela indicação], é natural que aqueles que não foram escolhidos tenham dificuldade de aceitação", afirmou. Segundo Lupi, os "momentos de incompreensão estão sendo superados."

Lupi negou interferência do ex-presidente Lula na escolha final pelo neto de Brizola. "[Lula] não interfere em nada. Ele tem direito a opinar sobre o que quiser."

Abrir comentários