ENTIDADE TENTA RECEBER DA PREFEITURA HÁ 16 MESES

Em funcionamento há 6 anos, o Centro de Recuperação de Dependentes Químicos e Alcoolismo (Credec) tenta firmar um convênio com a Prefeitura de Londrina desde o começo de 2012. Já são 16 meses desde que tenta firmar o convênio, até aqui sem sucesso. O presidente do Credec, Fábio Júnior de Castro, afirmou que a Prefeitura pagaria R$ 800 mensais por cada uma das seis vagas disponíveis no Centro, que tem uma unidade em Londrina e outra fora da cidade, atendendo a cerca de 100 dependentes em tratamento, em regime de internamento. Os R$ 4,8 mil mensais (R$ 57,6 mil por ano) seriam importantes para ajudar a pagar as contas, embora não cubram todas as despesas.

“O repasse é fundamental para pagar funcionários, aluguel e outras contas”, pontuou Castro. “Honestamente, em abril eu não sei como faço para pagar o aluguel de R$ 4 mil”, acrescentou. De acordo com o presidente do Credec, as famílias dos dependentes atendidos são carentes e não têm condições de ajudar financeiramente a entidade.

“Toda a rede de serviços depende dos repasses do município”, completou. Segundo ele, a entidade estava quase para acertar o convênio no ano passado, com a entrega das certidões exigidas pelo poder público, “quando estourou o problema com o [ex-prefeito] Barbosa Neto” e depois da crise política, as dificuldades financeiras da Prefeitura impediram os repasses.

O resultado da ausência dos recursos municipais é que a entidade já perdeu funcionários “por motivos de pagamento”. Castro disse que tem feito contato com a nova administração municipal, empossada em janeiro e que o prefeito Alexandre Kireeff (PSD) “tem feito todos os esforços” para tentar resolver o problema.

Abrir comentários